quarta-feira, 16 de junho de 2010

Quanto é?

Não estou lembrada se já falei sobre preço aqui no blog, acho que já... Mas vou falar novamente porque é um assunto que está no nosso dia-a-dia e merece sempre ser citado.
Uma amiga me escreveu esses dias pedindo conselhos sobre como cobrar. Era uma caixa de 18x18 mais ou menos, recheada de sachets, e ela havia passado o preço de 40,00 para a cliente. Respondi que para mim, estava até barata, porque as caixas dela são muito caprichadas, e fazer sachets dá um trabalhinho considerável.
Tenho plena consciência de que o artesanato no Brasil por muitas pessoas é visto como "porcaria", me desculpem a expressão, mas essas pessoas são aquelas que acham muito mais "chique" ter em casa produtos industrializados, produzidos em grande escala, "perfeitos", e coisa e tal. Inclusive aceitam pagar um absurdo nessas caixas de papelão vendidas em papelarias caras para organizar as coisas, mas não aceitam pagar o preço justo de uma caixa de madeira, artesanal. Se compram um artesanato acham que devem pagar centavos, porque aquilo por ter sido feito a mão e não ter passado por todo um processo mirabolante industrial, sabe-se lá porquê, vale menos e deu menos trabalho. Mas é aí que as pessoas se enganam! Porque tudo que é feito a mão dá muito mais trabalho. Concordo que abrir uma empresa, comprar máquinas, pagar funcionários e todo esse processo dê trabalho, mas o produto final, em grande escala, acaba não saindo tão caro assim e nem dando o mesmo trabalho que um artesão sozinho tem. E vamos falar aqui apenas sobre o trabalho de se fazer algo. Um artesão dedicado (é, porque também existem aqueles que fazem tudo nas coxas só para terem quantidade e querem vender pelos olhos da cara) que gasta seu tempo selecionando e comprando os melhores materiais, gastando horas do seu dia em uma única peça, se dedicando a cada etapa, o trabalho dele não merece ser valorizado?
Voltando a história da minha amiga, a cliente dela é uma noiva que queria 20 lembrancinhas. Minha amiga passou o preço: 40,00 cada. E a noiva, achou caro. E ainda disse que "ia tentar fazer alguma coisa para economizar". Alguém pode me explicar, porque sinceramente eu não entendo, a cabeça de uma pessoa assim? A grande economizadora já tinha fechado uma maquiagem por 400,00 (e sabe-se lá quanto num vestido que só usaria uma noite) e queria economizar nas lembranças artesanais? Ou seja, nas costas de uma pessoa que levaria dias produzindo aquilo?
Como pode? Não é para se revoltar?
Acho que se essa noiva queria economizar nas lembranças, que escolhesse algo mais simples, e não que desvalorizasse o trabalho de uma artesã.
Uma peça deve ser vendida pelo preço justo dela, nada a mais e nada a menos. Aprendi com esses anos vendendo peças artesanais, que é melhor não vender do que trocar bananas (vender pelo preço tão baixo que é a conta de cobrir os gastos e o transporte de ter ido comprar tudo, ou seja, elas por elas).

A finalidade deste post é apenas dizer a vocês que nunca permitam que desvalorizem seus trabalhos! Ele merece igual ou maior (na minha opinião) valor em relação a produtos industrializados. E a valorização do artesanato deve partir de nós, artesãs!

20 comentários

Artes da Kamila disse...

Ameio seu post, e concordo plenamente com você.Existem pessoas que olham nossos trabalhos realmente como exclusividade e ao falarmos o preço entortam o nariz, porém ao comprar em uma loja, seja ela de shopping, centro da cidade pagam o preço que o vendedor dá e ainda acham que pagaram em conta.Realmente é um absurdo.

Marcia disse...

Aline, concordo 100% com vc. Só que faz artesanato sabe o trabalho que dá. Isso sem contar a criatividade que o artesão coloca em cada peça e o fato de que cada criação é, em grande medida, única. E esse é o grande charme do artesanato: o fato de que cada coisa leva em si um pouco do artesão. Algo que não tem preço. Mas que deve, sim, ser precificado e bem pago. Beijoca.

Desabafando disse...

É, eu penso igual. Acho difícil colocar preço em algumas peças, principalmente pq só agora andei vendendo algumas e nunca tinha me preocupado com essa questão mas infelizmente as pessoas ainda tem aquela ideia de que artesanato é algo feito de qualquer jeito, por qualquer um, sem qualidade, quando na verdade é justamente o contrário.

Lu CY - Babalu Artes disse...

Adorei o post.
Como a "Desabafando", também tenho dificuldade em colocar preço nas peças, sempre acabo me desvalorizando, talvez porque estou começando e não domino muitas técnicas, mas agora com seu post vou reconsiderar alguns dos meus critérios de avaliação dos preços.
Beijo

Dani Viegas disse...

Que bom ter abordado o assunto aqui no blog. Eu já passei poucas e boas e agora trabalhando em feiras vejo muito absurdo. No mês das mães tinha uma mulher, que se diz artesã, vendendo a meu lado. Ela trazia arranjos de flores do 1,99 e vendia a R$ 5,00. Nem preciso dizer que não vendi quase nada naquela feira, mas também não abaixei o preço das minhas peças. Que quer comprar tem que pagar o preço. Valemos o preço que nos damos, não é mesmo? Então, concordo plenamente com você. Temos que valorizar nosso trabalho.

Beijos.

Sherol Vinhas disse...

E o pior de tudo nem pedem desconto nas lojas e para nós além de entortarem a cara pedem descontos até não querer mais, e as minhas peças que são de reciclagem??Ai que é de lascar!!Acham que por eu ter usado uma caixa reaproveitada tem que ser muuuitooo mais barato do que se eu tivesse comprado a caixa! E eu desconto sempre isso no valor antes de expor!Mas não adianta!
Como vc disse: Temos que nos valorizar meessmoo!!
Abraços.

Priscila disse...

Amiga vc disse tudo!!!! amei esse post, realmente as pessoas não valorizam muito o trabalho artesanal, que na verdade deveria ser muito mais valorizado por ser uma peça única e personalizada, não vai ser encontrado em qualquer loja e dificilmente uma pessoa terá uma exatamente igual, mas as pessoas não levam isso em consideração, já passei muito por isso, mas de forma alguma eu baixo meu preço, eu sei o tempo e o trabalho que tive para confeccionar a peça!
Eu trabalho, eu boto meu preço!
bjs....

ARTE BORBOLETAS disse...

Oi Aline concordo com todas e fico agradecida de vc colocar este tema tem muitas pessoas que não sabem valorizar mesmo um trabalho bem feito.
Vejo por mim tem clientes que preferem comprar na papelaria do lado um trabalho que não é caprichado mal acabado e ainda acham que fizeram umbom negócio,mas tem aquelas clientes que sabem Valorizar nosso trabalho e dedicação e sabem que no final o produto vai sair do jeito que ela pediu.Já esquentei muito a cabeça com isso e ficava triste,agora só faço para as clientes que valorizam e indicam nossos trabalhos as outras que não Valorizam comprem na papelaria da esquina mesmo afinal gosto não se discute.
Bjs

duda lima disse...

como todas já disseram, concordo com você!
para mim o pior é ter que ouvir esse tipo de coisa, "vou comprar algo mais barato" ou "custa tudo isso?", como se fosse muito fácil fazer, ou como se o produto não tivesse qualidade!
adoro fazer artesanato, mas não gosto de lidar com esse tipo de "cliente"!

Bianca disse...

Ficou muito bom seu post, concordo plenamente com vc e com todas as meninas.
Beijos

Quiosque de Ideias / Amizades disse...

querida amiga, falou e disse tudo, assino por baixo
bjs
Paula

Déia Artes disse...

Aline!
Concordo plenamente contigo, em número, gênero e grau... rsrsrsrs...
É um absurdo o que fazem conosco artesãs, tem gente que pensa que nosso trabalho é hobby... fala sério!!!
Bjs e vamos sim valorizar nosso trabalho!!!

** Dri ** disse...

Line, vc escreveu o que estava engasgado na minha garganta...
Mtas pessoas na feirinha achavam lindas as peças mas qdo viam o preço desistiam de comprar... Iam na barraquinha do lado e gastavam o dobro com tranqueiras da 25.. Aff....
O nosso trabalho é manual, lento, caprichado, mas mtos não entendem...
Ufa, desabafei!!!! rs...
bj bj bj

Peia e Nêssa disse...

Oie, Aline!
Realmente é muito difícil por preços nas peças, principalmente na hora de colocar o valor da mão de obra e do lucro. Mas a gente não deve vender mesmo o nosso trabalho a preço de banana. Tem que cobrar justo e temos também que aprender a mostrar nosso valor. O artesanato além de muitas vezes ser exclusivo, tem a opção de ser personalizado, do gosto, cor e da preferência do cliente, além de tudo tem o tok de amor do artesão...
bjocas

Raquel Mazuco disse...

Oi, Aline!
Adorei este teu post e esses tempos escrevi sobre isso no meu blog também. Acho que não devemos desvalorizar o nosso trabalho, conhecimento, capricho e amor pelo que fazemos. Quem sabe dar o devido valor a uma peça feita à mão, vai pagar o que ela vale.

Esses tempos saiu na revista Vida Simples uma matéria sobre peças feitas à mão e achei bem interessante um parágrafo que dizia: "Se você resolveu fazer uma manta, por exemplo, e percebeu que a matéria prima é cara, e o trabalho que dá encarece, se pergunta como consegue comprar tão mais barato em uma loja. É simples, alguém não está sendo remunerado como deveria para fazer aquela peça."

Quando alguém comenta que acha caro o meu trabalho ou pede desconto, eu nem respondo. Só eu sei o trabalho que deu e o tempo que me empenhei.

Beijos!

Raquel Mazuco
www.artepapelemadeira.blogspot.com

Daniela disse...

Adorei abordar este assunto, concordo também plenamente, mas com essas e mais aquelas, estou fazendo minhas peças mais para mim e meus familiares do que para vender mesmo, conheço várias pessoas que compram 1 pedacinho de bolo no amor aos pedaços e pagam até R$ 11,00 !!!! mas na hora de comprar uma peça de madeira forrada com tecido 100% algodão cheia de detalhes e cuidado e que são para durar a vida toda acham caroooo, desanimei sabe em vender.
mas vamos ver ... só o tempo dirá..
bj

jana-arts disse...

Oi Aline,

Temos que valorizar nosso artesanato.Infelizmente tem pessoas que preferem comprar um presente nas lojas de 1,99 (chines).
Em vez de artesanato.Tem um monte aonde moro.
Antes ficava chateada quanto não vendia.Mas agora sei quem quer comprar meus produtos e valoriza, me procuram.
Beijos e tudo de bom.

Cris Festas disse...

Tá vendo pq eu adoro esse blog?
Além de dicas super legais essa moça divide com a gente o que para alguns seria segredo de estado...
Tenho dificuldade em cobrar tb,mas como vcs mesmas disseram não podemos desvalorizar aquilo que criamos com toda dedicação.
Super obrigada Aline, vc abriu meus olhos para esse assunto.E como vc disse: é preferível não vender,do que vender sem o devido valor...
Já aconteceu comigo e pode acreditar,não fiz mais para essa pessoa.Se quer economizar,compre pronto,industrializado né?
Super beijo pra vc Aline e parabéns

silvia disse...

Oi Aline adorei seu post , infelizmente existem pessoas que desvalorizam nossos trabalhos artesanais as vezes até da propria familia achando um absurdo o preço justo que cobramos .Mais concordo com você e não vou mais abaixar meus preços me desvalorizando afinal tudo dá muito trabalho e quem tem dom deve ensinar e oferecer sem custos pois o dom é nos dado por Deus e ele não diz que devemos desvalorizar este dom que êle mesmo nos deu .Feliz natal pra você .

silvia disse...

Oi Aline adorei seu post , infelizmente existem pessoas que desvalorizam nossos trabalhos artesanais as vezes até da propria familia achando um absurdo o preço justo que cobramos .Mais concordo com você e não vou mais abaixar meus preços me desvalorizando afinal tudo dá muito trabalho e quem tem dom deve ensinar e oferecer sem custos pois o dom é nos dado por Deus e ele não diz que devemos desvalorizar este dom que êle mesmo nos deu .Feliz natal pra você .

Postar um comentário

^