segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Craquelando


Craquelar é bom e não tem segredo! Basta escolher os materiais certos ao invés de cair na tentação e sair comprando o que achar pela frente.
Muitas pessoas chegam em mim e perguntam: "Comprei tal material para craquelar, como faço?"
Quer me matar de raiva é me fazer essa pergunta!!!
Não seria mais fácil, chegar e perguntar o que comprar para craquelar? Há no mercado inúmeros materias para esse fim, e como já disse aqui, não trabalho com todos os materiais que existem, tenho os meus preferidos.
Bom, depois desse desabafo, que só teve por finalidade abrir seus olhos (coisa que a vendedora da loja não o fará, e sim fará com que você compre metade da loja hoje e volte amanhã para buscar o resto) vamos à técnica!
Craquelo de duas maneiras: Com vernizes (kit) e com a tinta craquelê
O craquelê com vernizes é ótimo e não tem erro, a superfície fica lisa, ao contrário do craquelê com tintas, onde a superfície fica "crespa". A escolha entre as duas opções depende exclusivamente do seu gosto e do resultado que deseja obter.

Craquelê com vernizes
Sugestão: Kit craquelê da marca Daiara, cor: Incolor

Você utiliza craquelê incolor quando quer craquelar sobre alguma gravura, e se desejar pode realçar os cacos no final com cera dourada.
Sugiro o incolor, pois além de poder ser usado sobre gravuras, você pode tingir pequenas porções na cor desejada e fazer um craquelê colorido. Utilizando assim o mesmo kit para trabalhar de diversas maneiras.

Pap da caixa acima: (com o kit)
Pinte a caixa de vermelho, lixe e dê outra demão.
No kit vem 2 componentes, que são: Base e craquelador.
Agite o verniz base e dê uma demão sobre a peça. Deixe secar e dê mais uma demão.
Pegue o verniz craquelador, sem agitar, e despeje um pouco (o quanto achar necessário para pintar a peça em questão) em um potinho. Coloque um pouco de tinta preta (usei mais ou menos 1 colher de sopa) e misture devagar. A quantidade de tinta nunca deve ser maior que a de craquelador.
Aplique na peça essa mistura.
Atenção: Para ter cacos maiores aplique uma demão farta, e para cacos menores uma demão mais fina. Não volte retocando a peça.
A medida que for secando, vai craquelando. Em nenhuma das etapas use secador de cabelos.
Se for usar incolor faça a mesma coisa, porém sem tingir o craquelador.

Craquelê com Tinta
Sugestão: Tinta craquelê da Acrilex na cor desejada

Pinte a peça com a cor de fundo desejada, lembrando que essa cor deve contrastar com a tinta craquelê comprada. Lixe e dê mais uma demão.
Passe cola cascorez pura em toda a área onde será feito o craquelê. A superfície deve ficar branquinha, porém não pode estar escorrendo cola. Deixe secar até ficar transparente.
Abra a tinta craquelê e misture ela com o cabo do pincél. Misture bem! Aplique sobre a peça.
Dicas: Para ter cacos maiores, aplique maior quantidade de tinta. Para cacos menores, menor quantidade. Sempre passe o pincél aleatoriamente, nunca na mesma direção, isso deixará seu craquelado mais bonito. Nunca retoque a tinta, passe e continue. Para agilizar pode usar o secador de cabelo na tinta já aplicada.

Ufa! É isso! Espero ver lindos craquelês!

Novo Blog no ar

Coloquei no ar ontem meu novo Blog(fotolog) com as fotos das minhas peças. Como já comentei aqui perdi o meu antigo e tive que arrumar outro. Não foi tão ruim quanto pensei, acho que dei um bom upgrade.

Fui postando por categorias, para facilitar a procura. Ficou muito bacana (essa gíria eu desenterrei...rs...).

Ele tem a mesma cara que esse Blog, pois é uma extensão dele. Lá só postarei fotos. Não colocarei todas minhas peças, somente algumas.

http://criandoentrepinceis.blogspot.com/

Aguardo a visita de vocês!

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Colocando as agulhas em ordem


A vida já é tão complicada né, quanto mais a gente facilitar, melhor é! Coisas bobas, como manter o ambiente de trabalho organizado já ajuda muito. Separar os objetos em caixas, todas nomeadas com o que tem dentro; utilizar vários suportes para diferentes materias, como: 1 para pincéis, 1 para auxiliares e 1 para canetas e réguas; ter cestinhas para os materiais que estão sendo usados naquele momento, e que no final são colocados nos seus devidos lugares. São tantas coisas que podemos fazer. Adoro ter tudo à mão, e tudo bem organizado.
Como vocês sabem, meu negócio é pintar e decorar caixas de mdf. Mas há pouco tempo resolvi meter o bedelho nas costurinhas! Tudo começou com as caixas forradas com tecido, depois vieram os sachets, e acabei me viciando nos paninhos! São tudo de bom. Entro em lojas e me sinto no paraíso, minha vontade é levar um pedaço de cada. E para minha sorte encontrei uma loja aqui em Niterói que vende a partir de 20cm. Foi minha perdição.
Ganhei dos meus pais, tem uns 2 meses, uma máquina de costura que foi da minha tia-avó. É bem antiga, isso a torna mais especial. Mas ainda preciso chamar um técnico para ajustá-la e me dar algumas dicas. Tenho certeza que ainda vou criar muitas coisas nela.
Nessa empolgação fiz um agulheiro que simplesmente amei!
Já vi muitos agulheiros por aí, blogs afora, muitos paps, e decidi fazer o meu. E ficou assim! Como vocês veem na foto. Ele é em mdf, forrado com tecido, pintado por dentro e com a tampa almofadada. Minha idéia foi assim: ter o agulheiro e um recipiente, que é a caixa, para jogar o lixinho, linha que sobra, rebarbinhas, ou então usar para colocar a linha que vou usar, tesourinha... ou seja, manter tudo organizado.
Nem vou passar o pap aqui, pois é bem básico. Forrada com tecido e na almofada da tampa usei manta acrílica (vendida por kg).
Para quem gostou, faço por encomenda.

Dica para o fim de semana: Assistam "Marley e Eu". É simplesmente emocionante! Uma história que me prendeu do começo ao fim. Dei boas gargalhadas. E me emocionei muito também!

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Feliz Natal!!!

Mais um Natal que chega. Espero que meus votos de 2007 tenham se concretizado na vida de cada um. E renovo mais uma vez esses votos, desejando a vocês um Natal abençoado, repleto de alegria, paz e saúde. Que seja uma noite para se abraçar, compartilhar, e desfrutar da companhia das pessoas que amamos.
Que cada um tenha a consciência de que essa noite de confraternização deve durar o ano todo. O Natal não teria sentido se durasse apenas uma noite. No resto do ano devemos continuar amando, cuidando e principalmente ajudando aqueles que precisam de um abraço, uma amizade, uma palavra, uma força! O dia 25 é um dia para se renovar esses laços, pois eles devem permanecer nos outros 364 dias!
Vamos aproveitar essa noite para repensar em tudo que aconteceu esse ano, e se soubemos tirar de cada momento, seja bom ou ruim, uma lição.

É isso que desejo a vocês! Que toda felicidade, paz e união se prolonguem pelo ano de 2009.
Um grande abraço!

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Vamos Decoupar?


Essa será minha primeira técnica postada aqui. Decoupagem, a arte da colagem. Irei ensinar também o básico da pintura.

Para pintar você vai precisar de:
Peça em MDF
Pincél largo e macio,
Tinta PVA ou acrílica,
Lixa n°240 e 400,
Verniz acrílico brilhante,
Cera em pasta
Flanela ou uma camiseta velha

Para decoupar você vai precisar de:
Cola branca diluída,
Guardanapos ou gravuras,
Tesoura
Saco plástico

Limpe bem a peça, com a flanela úmida, antes de começar. Dê a primeira demão de tinta na peça toda. Essa primeira demão se chama base, e não precisa necessariamente ser branca. Você pode usar a mesma cor que for pintar a peça toda para dar a base.

Lixe toda a peça com a lixa n°400. Ela é bem fina e não danifica a peça. Use a lixa n°240 para lixar apenas as bordas e as topias, que são os detalhes nas bordas. Depois passe a 400. Nunca use no corpo da peça lixas grossas.

Limpe novamente a peça. Dê mais demãos de tinta até cobrir bem a peça. Tintas escuras geralmente passa-se apenas 2. Tintas mais claras 3 ou até 4 demãos. Se for aplicar guardanapo na tampa, a superfície deve se pintada de branco, para não interferir nas cores do guardanapo.

Decoupagem com papel: Recorte o papel como preferir, passe cola no verso usando o pincél, coloque sobre a peça, coloque o plástico em cima e estique bem com a flanela. Retire o plástico e a gravura deve estar lisinha.
Decoupagem com guardanapo: Se for aplicar ele na tampa toda, deixe sobrar nas beiradas. Passe cola na superfície da peça e estique bem, até a cola ficar "melando" ao toque. Vá colocando o guardanapo e alisando levemente com a mão, sem puxar. Não deixe rugas. Coloque o plástico em cima e estique bem com a flanela, sem deixar o plástico escorregar. Vá esticando até ficar bem lisinho. Depois de seco tire as rebarbas lixando, sempre nas quinas de cima para baixo.

Depois de terminar a peça, deixe secando por umas 5 horas. Envernize o lado de fora e encere o lado de dentro. Para encerar: Aplique a cera com uma flanela e depois de seco, 1 hora mais ou menos, encere com a flanela seca e limpa.

É isso! Qualquer dúvida me escrevam!

sábado, 20 de dezembro de 2008

O fim do Gigafoto


Assim que comecei a trabalhar com artesanato, procurei um fotolog para hospedar as fotos que tirava de cada peça que fazia. Sempre fotografei todas, acho que só esqueci de 3 até hoje. Conheci e gostei do Gigafoto, e escolhi ele!
Desde então venho postando as fotos lá. Até 2 dias atrás... Que entrei para postar as últimas encomendas de natal e vi que hoje, dia 20/12 seria o último dia do fotolog no ar. Pensei que fosse sacanagem de alguns usuários, mas é verdade!
Fiquei chateada, afinal são mais de 100 fotos. E principalmente por ter no meu cartão de visitas o endereço dele.
Bom, mas não adianta eu reclamar, pelo que li não está compensando mantê-lo no ar. O jeito foi salvar minhas fotos e providenciar novos cartões...
Mas logo logo arrumo outro espaço para continuar mostrando meus trabalhos e coloco aqui o novo endereço.
Isso é o que eu chamo de começar 2009 de cara nova!rs...

Tenho boas expectativas para 2009! Dizem que 9 é o número da mudança não é? Espero que seja sempre para melhor!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Última fornada!

Entrego hoje a última encomenda para o natal. Terminei agora a pouco de encerar a última caixa, e isso me faz lembrar que minha cera acabou! Cerinha guerreira! Durou 1 ano e 7 meses, é muito não? E olha que já encerei um bocado de coisas. Essa cera é a Poliflor, já falei dela aqui.
Nesse natal não vendi tanto quanto o do ano passado, mas estou satisfeita. O que faltou foi uma feira para expor meus trabalhos. E como não tive nenhuma indicação, e não fiquei sabendo de feiras, esse ano não deu. As únicas que são divulgadas para os artesãos reservarem suas vagas são aquelas em que o aluguel custa em torno de R$1.000,00... e isso para mim é inviável. As outras feiras que me refiro, são aquelas em clubes, bairros, mas sempre quem fica sabendo primeiro ou os próprios organizadores já indicam alguém, que indica mais alguém e logo não há mais vagas. O jeito é a própria divulgação, por email, para amigos, conhecidos, e por aí vai...
Essa minha última fornada foram 4 caixas de chá e 2 de vinho. São as minhas preferidas! Amo caixas de chá... mas não tomo chá, logo, não tenho nenhuma!rs...
Minha cliente comprou há 3 meses uma caixa de chá que fiz toda branca, apenas com detalhes em alto relevo. A pessoa que ela presenteou gostou tanto que ela encomendou mais 4! Todas iguais. Se fosse no início eu me descabelaria pois não há nada pior do que pintar uma peça de branco! Mas com o tempo fui superando esse trauma. Não digo que foi fácil, mas resisti!
E essa mesma cliente, é freguesa das caixas de vinho. Fiz as duas em mogno, que é a campeã de elogios e forradas com veludo.
A maioria das encomendas que recebo são assim, a pessoa diz para eu fazer a meu gosto! Nossa, como isso é complicado. Sou tão eclética! Amo cores berrantes, como também as em tom pastel, amo branco, amo preto... amo o antigo, como o atual. Enfim, a solução é tentar pegar o maior número de informações possível. Como: a personalidade da pessoa, cores favoritas, decoração da casa.
Mas não vou negar que amo inventar! Claro! Como não? E quando estou passeando, em um parque, na praia ou viajando é que a inspiração me vem, as idéias e também novos projetos. Surge como um estalo. Como esses dias, que eu estava pintando de madrugada e me veio uma luz, logo catei um papel e uma caneta e desenhei um armário para meu atelier. rs... Venho procurando o armário ideal, e nada melhor do que eu mesma projetar pensando nos espaços que preciso para cada coisa.
Acho que encomendas agora só ano que vem! Vou aproveitar e organizar meu atelier que está uma bagunça!

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Sachets Perfumados


Humm... no armário, dentro da bolsa, nas gavetas... Eles são sempre bem-vindos!
Há diversas maneiras de fazer um sachet. Pode ser feito com plumante, sagú, pó de serragem ou outros materiais. Faço os meus com plumante.
Já li bastante sobre o assunto, e se formos pesquisar na internet, acharemos mil formas diferentes de fazer. O certo é encontrar a maneira que mais lhe agrada, e hoje vou passar a receitinha para vocês de como faço os meus.
Você vai precisar de:
Tecidos de algodão, Fitas de cetim, Plumante (daquele que compramos por kilo, pois são mais macios), essência, cola branca diluída, agulha, linha e tesoura.
Os tecidos devem ser cortados no tamanho 17x7. Nas duas pontas (de 7cm) passa-se a cola diluída para evitar que desfie com o tempo. Apenas em um espaço de 0,5cm, é bem pouquinho. Depois de seco, se houver alguma rebarbinha acerte com a tesoura. Depois é só costurar pelo avesso. Quem não tem máquina (como eu há pouco tempo atrás) costura a mão mesmo, não tem problema! É só dar pontos bem juntinhos estilo alinhavado.
Vou postar uma montagem que fiz que foi motivo de piada entre algumas amigas...rsrs.... É sobre essa costurinha e no quinto passo eu mostro como arremato. Já rimos muito com ele, pois ele mostra o básico do básico e tudo em detalhes, o que o tornou mais engraçado!

Mas continuando, depois de feito os saquinhos, é só encher com o plumante e fechar com um lacinho de fita de cetim (hum... esse ainda não fiz o pap...rs..).
O aroma vem só depois! Explico, como gosto de fazer uma remessa e deixar guardada para quando precisar, ficaria difícil para conservar o cheirinho, pois ele vai evaporando. A solução que encontrei foi colocar a essência dentro de flaconetes (tipo vidrinhos de amostra de perfumes). Vendo os sachets junto com os flaconetes. Para cada 6 sachets uso um flaconete de 3ml. Compro eles em lojas de materiais para sabonetes e perfumaria artesanal. Você coloca a essência ali com uma seringa. A pessoa que compra o sachet só coloca a essência quando for usar, coloca nas costinhas do sachet, não precisa abrir. Algumas essências são oleosas e mancham um pouquinho, mas é quase imperceptível. E com o tempo pode-se ir reabastecendo o sachet com essência.
Uso a essência pura. Não coloco álcool pois acho que isso apenas dilui a essência, nem fixador, pois ele só é usado em produtos que entrarão em contato com a pele.
Pela internet, encontrei essências de ótima qualidade na empresa Corin
Minhas preferidas são: Canela e Mamãe e Bebê(Natura).

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Falando de Materiais... Parte IV


Hoje para encerrar essa sequência falando sobre materiais, falarei sobre os materiais alternativos. Que são aqueles feitos para outra finalidade, mas acabam nos ajudando muito como materiais auxiliares.
A finalidade é economizar, reciclar e facilitar nossa vida. Irei listando e dizendo suas finalidades.

Pote de sorvete: Substitui o tanquinho de lavar pincéis
Escova de dentes: Perfeita para fazer a técnica da chuva americana
Sabonete seco: Usado para riscar tecidos escuros (o sabonete deve estar fininho)
Cartão de banco: Substitui a espátula na hora de passar pasta no stencil, ou direto na caixa. E também na aplicação do rejunte no mosaico
Caixa de ovo: Essa deve ser de isopor, usada como recipiente para a tinta, coloca ali a tinta usada e mantém o frasco fechado, depois é só ir descartando. Não uso lavar, vou usando até acabar todos os espaços. As vezes quando vou usar a mesma cor, reaproveito o mesmo espaço
Copinhos de café: A mesma finalidade da caixa de ovo
Esponja de cozinha: Essa deve ser usada nova. Uso como carimbeira, uma cor de tinta por vez, e com ela sempre seca
Bandejas de isopor: Boa para fazer pequenas misturas de tintas e principalmente como suporte para o uso do rolinho
Hashi: São aqueles pauzinhos para comer comida chinesa, uso para misturar tintas, vidro líquido, e outras coisas. A vantagem é usar e jogar fora, não precisa ficar lavando, principalmente quando se mistura o vidro líquido.
Palitos de picolé: A mesma finalidade que o hashi

Espero não ter esquecido de nada! Se alguém tiver outras sugestões e quiser colaborar, fiquem a vontade!

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Falando de Materiais... Parte III


Bom, isto não é uma propaganda da Acrilex... rs. Selecionei os materiais para tirar a foto e falar um pouco deles hoje e só depois percebi que a maioria é Acrilex.
Hoje vou falar dos materiais auxiliares, aqueles que julgo serem indispensáveis na maletinha de qualquer artesã. Irei listar por nomes e funções, para facilitar na compreensão e não estender muito o texto.

Goma Laca Incolor Acrilex: Pode ser usada como base em uma peça, antes da primeira lixada. Também usada para diluir purpurinas para o acabamento de alguma peça. Usada para selar imagens impressas em impressoras de tinta comum, nesse caso passa-se uma demão no verso e depois de seco na frente, daí é só esperar secar e fazer a decoupagem como de costume. Solúvel no álcool.
Aguarrás Acrilex: Usada principalmente para diluir o betume para aplicação e também para a limpeza do pincél.
Solvente Acrilex: Usado para diluição e limpeza de vernizes a base de solvente, como vitral, geral e cristal.
Verniz Acrílico Fosco/Brilhante Acrilex: Usado para acabamento de uma peça, sua vantagem é ser a base de água. Seu cheiro é bem mais fraco, sendo bem menos prejudicial que os outros vernizes a base de solvente. Aplicado com rolinho, o acabamento fica excelente.
Pasta para Modelagem Acrilex: Amo essa pasta, e ela nunca falta no meu atelier! Ótima para ser usada no stencil, deixando a peça com alto relevo, usada para fazer texturas, decoupagem modelada, corrigir imperfeições na peça e o que mais a criatividade mandar. Pode ser tingida com um pouquinho de tinta a escolha, para ser aplicada no tom desejado.
Gel Medium para Matizar Corfix: Retarda a secagem da tinta. Pode ser aplicado um pouquinho no meio da tinta para a execução de alguma técnica que necessite secagem lenta. E também aplicado no rolinho de espuma já hidratado com água, para que não seque enquanto ainda está sendo usado.
Cola Cascorez Extra (Rótulo todo azul): Essa é indispensável. Usada em várias técnicas e também pode ser diluída com água para ser usada na decoupagem de papéis e guardanapos.
Cera em pasta Poliflor: Usada para dar acabamento a uma peça, principalmente no interior, onde não há técnicas ou decoupagem, pois só pode ser aplicada sobre a tinta. A peça fica lisa e brilhante.
Betume em pasta Acrilex: Usado para envelhecer peças. Pode ser usado puro ou diluído na aguarrás para facilitar na aplicação.
Pasta Metálica Goldfix Corfix: Uso a dourada e prateada. Usadas para dar acabamento a peça, realçar craquelês e altos relevos.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Falando de Materiais... Parte II


Como uma boa amante do artesanato, amo tintas!!! Hoje vou falar sobre elas.
As tintas usadas para pintar madeira são as tintas PVA e acrílica. E são encontradas em lojas de artesanato em menor quantidade, até 250ml e em lojas de tinta acima de 1 litro.
Gosto muito das tintas PVA da Acrilex. Quando compro em menor quantidade, como 100ml ou 250ml só compro desta marca, pois além de ter uma diversidade grande de cores, tem o preço bom.
Como pinto bastante peças, as cores branco e preto, sempre compro em latas de 1 litro. Economizo muito fazendo isso. Compro também corantes diversos e as vezes crio minhas próprias cores. Mas para quem pretende fazer isso, deve ter o cuidado de misturar a quantidade de tinta suficiente para pintar toda a peça. E se necessário diluir a tinta, use sempre água filtrada, pois contém menos impurezas.
E para quem vai pintar uma peça maior, como um móvel, ou tem uma encomenda de várias caixas de uma só cor, o melhor é ir em uma loja de tinta, escolher o tom na paleta e comprar logo uma latinha de 1 litro.
Mais adiante vou falar de reciclagem, mas aqui vou dar uma dica, guardem sempre os potinhos vazios de tinta. Lave bem, tire o rótulo e use para guardar futuras tintas.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Falando de Materiais... Parte I


Vou falar um pouco dos materiais que julgo indispensáveis no artesanato em madeira. Espero poder ajudar novas artesãs com essas dicas, para que assim não gaste todo dinheiro inicial com materiais supérfulos, fazendo com que desanime rápido.
Antes de começar quero deixar claro que não recebo comissão de nenhuma marca, rs.. Apenas tenho as minhas preferidas.
Dividi esse assunto em 4 partes, hoje falarei da primeira.
Pincéis!
Uma das maiores dúvidas é com relação aos pincéis. Sempre que me perguntam, eu respondo que para começar são necessários 3 pincéis e 1 rolinho.
Pincél largo e macio, esse é usado para a pintura em geral. Ele deve ter a largura ideal, ou seja, o número 16 ou 18. As cerdas devem ser macias. Gosto do Condor 424 nº16, com pêlos sintéticos. Mas para saber se ele é bom, basta passar a mão pelas cerdas, você sente se é macio ou não. A escolha errada do pincél, compromete todo o trabalho. O barato acaba saindo caro.
Pincél chanfrado, é o que tem as cerdas em diagonal, usado para fazer sombreados, pintar em locais difíceis onde o seu 16 não alcança, e para fazer alguns detalhes. Procure por cerdas macias também. O número vai depender das peças que irá fazer, peças maiores, o pincél deve ser maior, e assim vai.
Pincél linner, tem poucas cerdas e é fino, esse é usado para fazer pespontos, assinar nomes e complementar algumas técnicas. As cerdas devem ser macias também e o tamanho depende do trabalho a ser realizado.
Rolinho de espuma, ideal para pintar grandes superfícies. Economiza tinta e poupa trabalho, pois é rápido. O tamanho médio é o ideal e é importante que o suporte que prende o cabo a espuma seja de metal. Pois, da maior firmeza ao trabalho.
Lembrando que, esses são os pincéis indicados para quem pinta madeira, faz decoupagem, e trabalha com diversas técnicas, não incluindo bauer e country, pois para essas é necessário mais pincéis.
Aos poucos, e a medida que for precisando, você vai aumentando seu leque de pincéis.
Lembre-se de cuidar muito bem deles! Acabou de usar, lave em seguida. Não deixe restos de tinta nele, não deixe ele de molho na água, a não ser que seja só por uns minutos. Lave com sabão neutro, pincelando a mão, e nunca batendo ele com as cerdas para baixo. Seque e deixe ao ar livre enquanto úmido virado com as cerdas para cima.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Produção de Natal

Estão saindo do forno quentinhas!!!

Caixas de mdf recheadas com sachets perfumados!
Uma ótima sugestão para presentear as pessoas que são especiais na nossa vida!

Aromas disponíveis para os sachets: Mamãe e bebê (natura), Lavanda, Canela, Maçã Vermelha e Priprioca.








Preços e disponibilidade apenas por email. Deixem um recadinho, não esqueçam de colocar o email, que eu entro em contato!

Então é Natal!!!


Natal está chegando!!! Já posso sentir um cheirinho de panetone e frutas no ar... Me fazendo lembrar aquela ceia maravilhosa do dia 24! Já montei minha árvore, esse ano nem ia montar, mas aprendi a fazer umas bolinhas maravilhosas e não resisti! Peguei todos os paninhos que tinha aqui, comprei mais alguns com motivos natalinos e coloquei a mão na massa...

Vou postar o vídeo aqui, ensinando a fazer as bolinhas. Não posso deixar de compartilhar com vocês esse pap maravilhoso! Lembrando que, esse vídeo não foi feito por mim! Ele está disponível no youtube.

http://www.youtube.com/watch?v=XTGm2DJ8HbI&eurl=http://www.orkut.com.br/FavoriteVideos.aspx?uid=14505392565097531436

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Bendito Revisteiro

Cheguei de viagem ontem, e trouxe comigo muitas novidades e histórias, que irei postando aos poucos. Começarei com o meu revisteiro!
Há tempos vinha procurando um revisteiro para colocar no meu atelier. É bom de vez em quando folhear revistas de artesanato, para inspirar novas idéias.
Procurei revisteiros prontos, em madeira crua, antigos, mas ainda não havia encontrado o ideal (Ideal = aquele que une a beleza com o bom preço...rs...).
Estava em Poços de Caldas-MG, e como sempre faço, fui atrás de lojas de artesanato. Sempre encontramos em cidades diferentes, coisas interessantes, "achados". E nessa loja que fui encontrei o bendito revisteiro! Não pensei duas vezes, bonito e barato, quer mais o quê?
Ele é todo em MDF cru. É também uma mesinha e tem uma gavetinha.


Estou com várias idéias na cabeça! Assim que ele estiver pronto posto aqui o resultado!
Ahh, mais uma coisa, acho que ele não vai mais para meu atelier, vai para minha sala!!!rs... Achei ali um lugarzinho ótimo para ele! E afinal de contas, posso ler minhas revistas no conforto do sofá!
^